sábado, 6 de maio de 2017

[...]










Sinto o meu peito mais forte, e sim, sinto que estou vivo.
Mesmo que pareça estranho o termo vivo, diante desse mundo sem
sentido algum, estou vivo, de pé.

Quando meu cérebro sussurra verdades, ele me diz que estamos de cabeça pra baixo e que somente uma força consegue nos manter firmes ao chão, a gravidade.
Se percebo que dependo dessa força e ela pode cessar a qualquer momento,
meu pescoço começa a me sufocar, minhas veias afinam e todo o meu corpo
tendencia a uma tensão que não vem deste mundo, não tem classificação.

Nesses dias de tensão, perco o sentido
os barulhos aumentam, a respiração diminui.
Embora tudo ainda mantenha um sentido externo
e sem barulhos ao meu redor.















[junior ferreira]














Nenhum comentário:

Postar um comentário